O funcionário pode fazer jus a diversos benefícios, como o vale-alimentação, o vale-transporte e o vale-combustível. Cabe à empresa escolher a opção mais econômica para o negócio e que, ao mesmo tempo, cumpra sua finalidade.

O vale-transporte é concedido para garantir o deslocamento dos colaboradores entre a empresa e sua residência. Este benefício tem obrigatoriedade de concessão, segundo legislação laboral.

Mas se um funcionário tiver veículo próprio, pode ser mais conveniente (tanto para ele quanto para a empresa) ter o benefício aproveitado no formato de vale-combustível.

Dessa forma, neste post, vamos falar um pouco sobre o vale-combustível para funcionários. Veja se esse recurso vale a pena e qual opção pode ser a mais econômica!

O que é o vale-combustível para funcionários?

O vale-combustível para funcionários é um benefício que garante mais conforto para o empregado, facilitando sua vida, pois permite que ele vá trabalhar usando seu carro.

Trata-se de uma medida que pode ser adotada por qualquer empresa, desde que exista acordo entre o patrão e seu empregado.

Quais as formas de vale-combustível?

O vale-combustível para funcionários pode funcionar de duas formas:

  • em dinheiro;
  • em cartão.

No primeiro caso, o dinheiro em espécie é dado ao funcionário. Para garantir esse direito, ele deve apresentar mensalmente os comprovantes de todos os valores gastos com combustível.

No segundo caso, tem-se o cartão combustível, sendo desnecessária a apresentação de comprovantes de pagamento. É um sistema pré-pago que, segundo alguns gestores, é mais eficiente que o já conhecido vale transporte.

Hoje em dia, é muito comum que empresas repassem o valor gasto pelos funcionários com combustível por meio de cartões pré-pagos (os funcionários usam frequentemente a modalidade cartão de débito).

Existem diferentes tipos de cartão combustível, como ValeCard, Sodexo, VB Combustível, Multi Combustível, Cabal Vale-Combustível etc. Mas será que o vale-combustível é realmente melhor que o vale-transporte?

O que é o vale-transporte?

O vale-transporte é um direito que todo funcionário possui, ofertado pelo seu empregador. O patrão antecipa ao trabalhador o vale para que ele tenha como se deslocar de sua residência até o local de trabalho e do local de trabalho até sua residência.

O vale-transporte envolve todas as formas de transporte coletivo urbano, abrangendo ainda o transporte intermunicipal e interestadual.

A lei que aborda o assunto (que instituiu esse benefício do trabalhador) é a Lei nº 7.418 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Antes dela, esse benefício não era obrigatório. Contudo, a Lei nº 7.619/87 modificou a anterior e estabeleceu que era obrigatório para o empregador custear o transporte de seus empregados no caso de eles precisarem ou mesmo no caso de eles simplesmente desejarem usufruir desse privilégio.

Os valores referentes ao vale-transporte são divididos entre a empresa e o funcionário. Dessa forma, desconta-se do salário fixo do empregado, mensalmente, um percentual de 6%, que é relativo ao benefício

Como dissemos, o percentual incide somente sobre a remuneração fixa, ou seja, caso o funcionário receba comissões ou gratificações, o percentual incidirá apenas sobre o salário fixo.

Em relação à distância que separa a casa do trabalhador da empresa, a lei não oferece nenhuma restrição. Assim, não importa se ele mora a quilômetros de distância do local de trabalho ou se mora a somente alguns metros dela, o funcionário, se desejar, tem o direito de receber o vale-transporte.

A empresa só está livre de oferecer o valor se o funcionário optar por transporte próprio.

O que é melhor: o vale-transporte ou o vale-combustível?

É preciso, para responder a essa pergunta, avaliar as duas partes envolvidas no negócio: o patrão e o empregado. Para o funcionário, por exemplo, ele pode preferir ir em seu próprio carro que ter que pegar transporte público, seja ônibus ou metrô. Mas, ainda assim, é preciso considerar a distância que separa a casa do empregado da empresa em que trabalha e se o carro é econômico.

Assim, se o empregado mora a uma distância equivalente, por exemplo, a 5 ou 10 minutos de carro, talvez seja melhor escolher o vale-combustível para funcionários. É muito mais confortável (e até mais seguro) andar em seu próprio carro, comparado ao transporte coletivo.

Se ele morar muito distante e tiver que enfrentar um trânsito caótico para chegar ao trabalho, expondo seu carro a outros riscos além do consumo de combustível, talvez o vale-transporte seja mais viável. Em grandes cidades, o ônibus trafega em uma área específica, o corredor de ônibus, o que lhe dá certa vantagem sobre o carro próprio (pelo menos, no que se refere a chegar mais rápido ao trabalho). Os metrôs, por sua vez, não enfrentam trânsito e são muito velozes.

Se, no caso acima, o veículo ainda for pouco econômico, consumindo muita gasolina, o vale-transporte torna-se ainda mais eficaz.

Em relação à empresa, ela deve considerar o que for mais vantajoso para suas finanças e, ao mesmo tempo, o que for melhor para o funcionário, pois assim evitam-se atrasos e ele poderá trabalhar com mais disposição, melhorando a sua produtividade.

A substituição do vale-transporte pelo vale-combustível é permitida por lei desde que seja fruto de um acordo entre o empregador e o funcionário. Caso o funcionário prefira o vale-combustível e o patrão concorde (mútuo acordo), ele perde o direito ao vale-transporte e não recebe o desconto de 6% sobre sua remuneração fixa.

Uma terceira opção: os táxis corporativos

Existe ainda outra opção para a empresa e para o funcionário, que pode sair mais barata para a primeira e muito confortável para o segundo. Trata-se dos táxis corporativos. Basta fazer os cálculos para conferir a diferença.

O sistema de táxis corporativos evita um dos piores problemas que impedem o funcionário de chegar no horário certo ao trabalho: o trânsito congestionado. Nas grandes cidades, os táxis também podem trafegar pelo corredor de ônibus, o que dá vantagem sobre o veículo próprio. Outra vantagem é que o funcionário não terá que apanhar transporte coletivo (muitas vezes, cheio de pessoas) para usufruir desse privilégio, nem será preciso arcar com os custos altos dos táxis comuns.

Antes da chamada, já é possível visualizar, no aplicativo, o tempo que o táxi gastará para chegar ao local, libertando-se dos imprevistos que podem atingir o transporte coletivo e até mesmo o carro próprio. Em carros próprios, muitas vezes, podem acontecer problemas como falta de gasolina ou danos no veículo — com táxis corporativos, sempre haverá veículos disponíveis, em bom estado de conservação e submetidos a manutenções periódicas.

O sistema também conta com vans, micro-ônibus, helicópteros, aviões e jatos. Os táxis são totalmente seguros, pois possuem blindagem e os taxistas são excelentes profissionais, legalizados na prefeitura, com carteiras atualizadas e habilidades no trânsito, além de oferecerem um ótimo atendimento.

A empresa terá uma plataforma online à sua disposição e poderá monitorar, em tempo real, todas as despesas, as corridas e os lançamentos.

Para comparar os custos com vale-combustível para funcionários e vale transporte com os custos com um sistema de táxis corporativos, acesse a Calculadora de Transporte da Wappa!