Tudo o que você precisa saber sobre empreendedorismo e inovação

A união entre empreendedorismo e inovação pode ser o que faltava para que você crie um empreendimento. Caso você seja um profissional de alto escalão que gosta de arriscar, o mercado estará mais propício para recebê-lo de braços abertos graças aos resultados que você produz.

A inovação tem tudo a ver com a criatividade e, portanto, a união desses fatores leva ao aumento da qualidade dos produtos ou serviços e da produtividade.

Se você ainda tem dúvidas de como estabelecer sua nova empreitada e se ela realmente terá sucesso, associe o seu propósito de negócio com empreendedorismo e inovação para que as ideias possam fluir melhor.

Continue lendo este post para compreender um pouco mais sobre esses termos tão importantes, conquistar um lugar de destaque no mercado e sair na frente da concorrência. Boa leitura!

Empreendedorismo e inovação: definição

Você certamente já observou um grande número de vitrines com manequins em lojas de roupas. Em uma avenida extensa, pode ser exaustivo parar em frente a todas elas — pois a poluição visual é tanta que ficamos menos atentos ao que está ao nosso redor.

Por essa razão, os empreendedores que desejam se diferenciar e atrair mais compradores devem implantar uma cultura de empreendedorismo e inovação nos estabelecimentos. No entanto, promover esse comportamento não é algo natural.

Empreendedorismo e inovação

Para inovar é preciso investir em capacitações, fomentar a criatividade e melhorar diferentes habilidades de compra e venda. Geralmente alguns empresários gerenciam um negócio sem incorporar nenhum tipo de novidade, entregando apenas o comum.

Porém, devido à instabilidade econômica, a necessidade de inovar e desenvolver novos processos e soluções para a empresa torna-se ainda mais visível.

Algumas marcas desenvolvem produtos e serviços extremamente atrativos — por exemplo, que visam inovação e sustentabilidade (ecológica e financeira) —, oferecem novas experiências ao público-alvo e, em virtude disso, crescem no segmento no qual estão inseridas.

Grande parte dos que lideram essas empresas investem em análises de mercado, leituras, capacitações e ainda consultam profissionais do ramo que desejam arriscar — essas são algumas maneiras de estimular o comportamento empreendedor e descobrir novas possibilidades para empreender.

Aqueles que atuam há vários anos no mercado correm o risco de acomodar-se ou de desconsiderar as novidades lançadas por novos negócios — o que é um grande erro, pois pode levar à perda de recursos empresariais e, consequentemente, à redução da carteira de clientes.

A falha mais cometida atualmente é o não uso das mídias sociais ou páginas na internet para a propagação de produtos e relacionamento com o público. Esse tipo de tecnologia é fundamental para inovar e aumentar as vendas.

Contudo, para adotá-la, você precisa ter uma visão empreendedora afiada, capaz de detectar oportunidades e reproduzir boas ideias para chamar a atenção dos clientes.

Características de uma empresa empreendedora e inovadora

Com quase todos os segmentos de mercado competindo acirradamente, é necessário desenvolver estratégias para diferenciar-se e conquistar uma posição favorável em relação à concorrência.

Torna-se fundamental, então, apostar em empreendedorismo e inovação, modelo de negócio caracterizado pela alta capacidade de transformação da empresa e pelo comprometimento de todos os envolvidos — que devem ter autonomia e vontade de fazer mudanças.

Quero ser empreendedor o que fazer

Para desenvolver uma jornada empreendedora, é preciso que os encarregados pela companhia se autoavaliem diante do funcionamento interno do negócio e dos obstáculos diários, o que também envolve a capacidade de produção e o engajamento dos funcionários.

O resultado desse estudo é que determinará se a organização terá condições de tentar novos projetos e de obter sucesso no mercado. Algumas condutas são essenciais para impulsionar o empreendimento e a carreira profissional dos colaboradores. Segui-las é uma tarefa imprescindível para o sucesso da equipe.

Veja quais são elas:

Ética

Cumprir as normas e os valores definidos para o negócio, além dos critérios que regem o ramo de atuação do mercado, é fundamental para gerar credibilidade, formar uma boa imagem e criar possibilidades para a geração de novos acordos. Assim, os colaboradores fortalecem a relação entre si e têm mais chance de evoluir na profissão.

Foco no cliente

Colocar em primeiro lugar as necessidades do cliente no processo de produção também é importante para promover o empreendedorismo e inovação. Compreender as demandas do consumidor e as particularidades do relacionamento com o público final ajuda no aperfeiçoamento do produto desejado.

Ao atender às expectativas, sua marca promove a fidelização dos clientes. Essa é uma estratégia imprescindível para aqueles que desejam promover a economia colaborativa, diminuir custos e aumentar as vendas.

Comprometimento

O compromisso da corporação com os envolvidos — colaboradores, fornecedores, clientes, parceiros e acionistas — gera valor e fortifica os laços corporativos.

Assim, alinhar os desejos e as intenções de todos eles é uma tarefa que está diretamente ligada às vantagens alcançadas com o engajamento. O fruto disso é a conquista das experiências construtivas e o crescimento da rentabilidade.

Foco externo

Empreendedorismo e inovação é uma prática aberta, pois envolve redes de trabalho externas, que trazem resultados maiores do que apenas dentro da empresa. O foco externo vai além dos desejos e necessidades do público-alvo, pois age também no fortalecimento de relações com fornecedores e competidores.

Comunicação extensiva

As ferramentas de desenvolvimento para trazer mais clareza na comunicação e para a solução de conflitos são indispensáveis para o processo de inovação, principalmente porque a resolução de problemas necessita da unificação de diversos dados e informações que podem estar largamente distribuídos pela empresa.

Softwares de gestão são grandes aliados da comunicação em empresas, pois aceleram processos e possibilitam a obtenção de informes, mensagens e relatórios em tempo real.

Startups: novo modelo de negócio

Muitos dizem que qualquer pequeno negócio no início de suas atividades pode ser considerado uma startup. Outros falam que uma startup é uma instituição que gasta pouco com manutenções, mas que consegue prosperar rapidamente e gerar lucros cada vez mais altos.

No entanto, existe uma definição mais atual, que satisfaz tanto especialistas quanto investidores: “uma startup é um conjunto de profissionais em busca de um modelo de negócio sucessivo e escalável, atrevendo-se em condições de total incerteza”.

Ainda que curta, essa frase pode ser explicada em quatro conceitos:

1. Cenário de incerteza

Significa que não há como afirmar se aquele planejamento colaborativo realmente trará o retorno desejado ou se ele se provará sustentável nos primeiros meses de existência.

2. Geração de valor

Nada mais é do que transformar seu trabalho em dinheiro. Um dos modelos de negócios do Google, por exemplo, é cobrar por cliques nas propagandas exibidas nas buscas feitas pelos usuários.

Um outro exemplo são as franquias: o investidor paga pelo direito de utilizar uma marca, tendo acesso a uma atividade de sucesso com auxílio do franqueador — e, por esse motivo, eleva suas chances de gerar lucro.

3. Foco na recorrência

Ser recorrente significa ser capaz de oferecer o mesmo produto repetidamente em escala ilimitada, sem muitas adaptações ou customizações para cada perfil de cliente. Isso pode ser feito ao comercializar o mesmo tipo de produto diversas vezes, com estoque suficiente independentemente da procura.

Uma boa analogia é o modelo de venda de mídias físicas para filmes e séries: é inviável vender a mesma unidade de Bluray ou DVD várias vezes, já que é necessário fabricar um diferente a cada exemplar vendido.

Em contrapartida, é possível ser recorrente com o serviço pay-per-view (pagar para ver) — o mesmo vídeo é fornecido a qualquer um que deseja pagar por ele sem que isso prejudique sua disponibilidade ou gere aumento significativo devido ao número de cópias vendidas.

4. Foco na escalabilidade

Ser escalável é o segredo das startups: significa crescer constantemente, sem que isso afete o modelo de negócios. É crescer em receita enquanto os custos aumentam lentamente. Isso faz com que a margem seja sempre alta, gerando cada vez mais lucros e riqueza.

Exemplos de modelos de negócios

Para que uma startup dê certo é necessário bastante foco por parte do empreendedor para escolher o modelo de negócio que mais se encaixa em suas ideias.

Atualmente, existem no mercado diversas modalidades de empreendimento. Você pode escolher apenas uma ou fazer uma combinação entre elas de forma a satisfazer as necessidades do seu negócio. Veja a seguir quais são as 6 principais vertentes:

1. SaaS

É um termo que significa Software as a Service — ou Software com Serviço, em português. Nesse tipo de negócio, a marca fica responsável por oferecer, atualizar e manter um sistema para o uso de um determinado programa.

As suas vantagens são a receita frequente (mensalidades) e a possibilidade de desenvolver novas funcionalidades para os clientes. No entanto, é preciso investir periodicamente na atualização e na manutenção tanto do software quanto da plataforma.

startup e inovação

2. Serviço de assinatura

É o oferecimento sucessivo de algum produto ou serviço. Esse modelo de negócio pode evitar que a startup sofra com sazonalidades financeiras, pois funciona como uma relação entre empresa e consumidores.

O diferencial do serviço de assinatura é que ele mantém um método previsível de receitas, uma vez que os assinantes que contrataram o serviço se encarregam de manter pagamentos periódicos. O desafio fica por conta de sempre ter uma abordagem bem construída para encantar continuamente os clientes.

3. Marketplace

É uma startup que realiza suas atividades em uma plataforma, oferecendo produtos e serviços e disponibilizando um local para que os interessados possam adquiri-los.

Esse tipo de negócio inicia com um custo operacional quase ínfimo e o processo em si é escalável. Além disso, não é preciso preocupar-se com a realização do serviço e muito menos com a entrega das mercadorias. A única preocupação fica por conta do gerenciamento da plataforma.

4. E-commerce

O comércio eletrônico é o pioneiro entre os modelos de negócio utilizados na internet. Contudo, ele apresenta pontos positivos e negativos. Suas vantagens dizem respeito ao fato de o modelo já estar consolidado no varejo online, dada a confiança que as pessoas passaram a depositar em sites desse tipo ao longo do tempo.

Em contrapartida, suas desvantagens e demandas são desafiadoras, devido ao fato de ser um segmento difícil de crescer, já que requer investimentos na contratação de funcionários e em espaço físico para constituição de um estoque — também é preciso investir em processos logísticos.

5. Aplicativos e Games

Esse modelo de negócio nada mais é do que a disponibilização de apps, jogos e programas possíveis de serem instalados em dispositivos móveis (smartphones e tablets). Esse tipo de empreendimento ganhou notoriedade após a chegada desses aparelhos no mercado.

Os lucros desse segmento provém sobretudo da monetização que é realizada por meio da oferta de funcionalidades adicionais. No caso dos games, por exemplo, são oferecidos itens facilitadores do jogo e personagens.

A vantagem é que essa pode ser uma atividade bastante rentável caso o empreendedor consiga atingir os usuários corretos. Já a desvantagem é manter o software sempre atualizado e gerar mais conteúdos para fisgar continuamente o interesse dos usuários.

6. Adware

Foi desenvolvido durante a consolidação da tecnologia web. O Adware consiste especialmente em fornecer de maneira gratuita um serviço e, em troca, o usuário aceita clicar na propaganda que surge durante a prestação do serviço.

O lucro é obtido quando as pessoas instalam gratuitamente um aplicativo em seu dispositivo móvel. Assim, durante o seu uso, alguns anúncios aparecerão na tela.

como abrir uma startup

A ideia disso tudo é fazer com que o consumidor pense que realmente está ganhando por usar o software de forma gratuita. Porém, é preciso ter cuidado com o excesso de publicidade, pois isso pode levar à desinstalação prematura do app.

Ferramentas de modelo de negócio (Canvas)

Você já deve ter se perguntado se a sua ideia de empreendimento é viável, correto? Nesses momentos começam a brotar diversas dúvidas quanto aos cuidados que você deve ter ao abrir uma empresa. Você sabe, afinal, o que é preciso considerar no momento de planejar o seu negócio?

O Business Model Canvas — comumente conhecido como Canvas — é uma ferramenta de planejamento estratégico essencial para quem deseja unificar empreendedorismo e inovação. Ela permite elaborar e projetar modelos de negócio novos ou existentes.

Trata-se de um mapa visual pré-formatado que contém nove blocos, são eles:

  1. proposta de valor: o que a marca oferecerá para o mercado e que realmente terá valor para os consumidores;
  2. segmento de clientes: quais nichos de mercado serão o foco do empreendimento;
  3. os canais: como o público pesquisa, compra e recebe o produto e/ou serviço;
  4. relacionamento com clientes: como a empresa realizará suas abordagens com cada grupo de cliente;
  5. atividade-chave (ou atividade-fim): quais são os processos fundamentais para que seja possível continuar atuando no mercado;
  6. Recursos principais: são os recursos necessários (materiais e pessoal) para executar as atividades-chave com eficiência;
  7. parcerias principais: são as atividades-fim executadas por terceiros e os recursos principais obtidos fora da empresa/sede;
  8. fontes de receita: são as formas de gerar receita mediante a propostas de valor.
  9. estrutura de custos: são os custos essenciais para que a estrutura possa operar exatamente como planejado.

Os fatores expostos nos blocos formam a caracterização de um negócio, ou seja, o modo como você deverá atuar e gerar valor ao mercado, determinando seus principais fluxos e operações — o que permite a análise e o acompanhamento do seu padrão de atuação.

Dicas de empreendedorismo e inovação

Em meio à instabilidade econômica, novas soluções devem ser buscadas para que as empresas consigam manter-se lucrativas. Mesmo em circunstâncias favoráveis, a união de ações de empreendedorismo e inovação se caracteriza como uma estratégia crucial para o sucesso de um negócio.

Por intermédio dessas práticas, é possível sair na frente da concorrência, dar conta das demandas/solicitações e fidelizar ainda mais clientes. Quer compreender como esses dois pilares podem ser incorporados na sua empresa? Veja as dicas abaixo!

1. Analise empresas que deram certo

Se a sua meta é consolidar-se no mercado, estude exemplos para buscar inspiração. Mesmo diante de muitas adversidades, existem muitos empreendimentos que deram certo porque seus idealizadores “arriscaram” em empreendedorismo e inovação.

Elabore uma lista de marcas que atuam em determinados segmentos e executam funções variadas. Investigue seus diferenciais, bem como os processos internos e as causas que contribuíram para que atingissem tamanha notoriedade.

Verifique também onde falharam e o que fizeram para solucionar quaisquer problemas causados por essas falhas. Depois, faça uma comparação com as ações tomadas dentro da sua empresa em um contexto semelhante.

Isso ajudará você a criar as melhores estratégias para potenciais contratempos e também gerará novas atitudes e processos para melhorar aquilo que já é oferecido pelo seu negócio.

2. Defina seus KPIs de inovação

Imagine um proprietário que não monitora o desempenho que sua instituição entrega. É difícil colher bons resultados com essa situação, uma vez que não se pode compreender com exatidão como seus funcionários têm realizado suas obrigações.

O gestor certamente se perderá entre os procedimentos do negócio e não conseguirá detectar aquelas operações que atrapalham seu crescimento. Nessa situação, ainda que o faturamento seja favorável, pode não haver progresso devido à ausência de inovação.

inovacao no mercado de trabalho

Para evitar esse tipo de problema, invista em KPIs — indicadores que avaliam o desempenho de atividades exercidas pelos colaboradores — a fim de solucionar processos problemáticos e melhorar os já realizados. Esses parâmetros farão com que a empresa consiga ter competitividade, trazendo um fluxo constante de obrigações.

3. Invista pesado no digital

As marcas mais famosas já investem massivamente na divulgação feita pela internet com o objetivo de gerar valor e aumentar a carteira de consumidores. Atualmente, quem não aposta na presença digital perde terreno rapidamente — e isso também vale para pequenas empresas.

Ter uma página corporativa, criar páginas nas mídias sociais e lançar um blog é imprescindível para o sucesso. Com isso, engajar pessoas e transformar seguidores em clientes fica muito mais fácil. Esses canais são incríveis para despertar curiosidade, contar histórias, educar o público e melhorar a experiência de compra dos usuários.

Não se esqueça de focar naquilo que você oferece de melhor. Independentemente do seu segmento, concentre-se no que tem mais saída e invista totalmente em seu desenvolvimento. Compartilhar essa intenção na rede é fazer com que sua mensagem atinja exatamente aqueles que devem conhecê-la.

4. Tenha uma equipe interessada por empreendedorismo e inovação

Um time de profissionais engajado e que tenha os mesmos valores e interesses do negócio agrega muito valor ao processo de melhoria interna. Definir uma cultura inovadora com foco em propósitos e novas soluções é uma forma de promover engajamento e fazer com que todos compreendam o objetivo de modernizar.

É nos pequenos avanços diários que os seus colaboradores mostrarão produtividade e otimizarão os processos internos do seu negócio. Promover o empreendedorismo e a inovação não é tão difícil quanto parece: basta ter persistência, foco, buscar novidades e acompanhar tendências.

Cases de sucesso de empresas inovadoras

Para ajudá-lo na sua jornada de sucesso, reunimos aqui três cases de startups que inovaram e conseguiram ser conhecidas por quase todo mundo. Confira:

Nubank

A startup de serviços financeiros Nubank foi fundada em 2013. Seu grande atrativo é o oferecimento de um cartão de crédito internacional, sem taxa de anuidade e juros baixos em relação aos outros cartões.

O sucesso da marca é tanto que o cartão Nubank se tornou em um objeto de desejo entre muitas pessoas. A empresa não revela seu faturamento. No entanto, declara que já recebeu mais de 2 milhões de solicitações de candidatos interessados em obter o cartão.

NETFLIX

Apesar de ser mais conhecida atualmente, a NETFLIX foi fundada em 1997 por Marc Randolph e Reed Hastings. Sua proposta inovadora para a época era entregar, via correio, os filmes e séries que faziam parte de seu catálogo.

Assim, o cliente poderia solicitar o filme por telefone ou internet e recebia a mídia física em sua casa. Dois anos depois, o empreendedor lançou seu serviço de streaming, levando a marca a um fenômeno internacional.

Atualmente, a empresa está presente em 190 países e conta com mais de 80 milhões de assinaturas. O projeto atual de empreendedorismo e inovação da NETFLIX é a produção de material próprio, em forma de documentários, longas-metragens e séries — o que reformulou o negócio como um todo.

Devido ao enorme sucesso da marca e para companhar o seu crescimento frenético, diversos canais de TV lançaram seu próprio site de streaming.

iFood

O iFood se tornou o maior e melhor food tech do Brasil. Não é a toa que está no topo do segmento de delivery online de comida e é uma das empresas mais inovadoras do momento.

O app possui mais de 15 mil estabelecimentos cadastrados e realiza cerca de 3 milhões de pedidos por mês. Atualmente, está presente em mais de 100 municípios e também já conta com clientes em outros países — como Argentina, Colômbia e México.

Esperamos que os assuntos discutidos ao longo deste conteúdo tenham ajudado você a compreender um pouco mais sobre empreendedorismo e inovação e a ver como aplicá-lo no seu negócio. O segredo é sempre buscar novas ideias e tendências e não ter medo de arriscar. Só assim você colocará sua marca em evidência no mercado.

O que achou deste post? Aproveite e baixe o nosso guia definitivo para redução de custos em pequenas e médias empresas!