4 dicas para startups

Está para lançar um empreendimento? Aqui vão quatro dicas para ajudar o seu negócio dar certo

Se você quer empreender, tem uma proposta com grandes perspectivas de se sobressair em seu mercado, mas está preocupado com a possibilidade de errar ao colocar suas ideias em prática, seguem abaixo algumas dicas que formulei a partir da minha própria experiência desde a fundação da Wappa.

Antes de tudo, encontre uma demanda

Um dos erros mais comuns cometidos por quem quer empreender é ficar deslumbrado com o desenvolvimento da ideia de serviço ou produto e “esquecer” de checar se o mercado vai ser receptivo a ela. Uma parte imensa do negócio é justamente a demanda. Ela é grande? Muito específica? É de nicho? Avalie todo o cenário para saber onde está pisando. Afinal, a necessidade do público é que deve moldar seu produto e não o contrário.

Considere o cenário cultural em que está inserido

Conheça e avalie as possíveis barreiras sociais e econômicas à ideia que quer lançar. Em geral, o brasileiro é um povo bastante receptivo a novidades. Contudo, para vingar no mar de novas empresas que surgem todos os dias, sua proposta precisa atender a uma necessidade real, que seu consumidor tenha consciência de que possua. Não tomar esse cuidado para formular o que você vai oferecer a ele pode ser fatal.

Invista em gestão desde o início do negócio

O momento em que a empresa está desenvolvendo o modelo de negócio é muito crítico. Por isso, vale apostar em um processo de gestão bem definido. Pode até não parecer, mas esquecer de distinguir o que é pessoa jurídica de pessoa física é bem comum. Separar as coisas é essencial – além de gerar confiança por parte de possíveis investidores. Há muitos casos de empresas que nascem com uma boa ideia, mas morrem em seguida por causa dessa falta de controle. Saiba separar as coisas, pense como um empresário.

Seja sustentável

Vivemos a era da sustentabilidade. É bom, portanto, que se pense de forma sustentável ao empreender. Entenda bem o mercado no qual vai se inserir e planeje-se de forma a impactá-lo de forma mais positiva e agregadora possível. Do ponto de vista gerencial, a sustentabilidade dita outras regras importantes: apostar em infraestrutura cara, numa escalabilidade que você não tem condição de atender de imediato ou mesmo em trazer pessoas muito caras para o time – mesmo que haja capital para isso – pode ser um tiro no pé. O negócio está funcionando e indo bem com a equipe atual e com o mínimo de infra? Continue assim. Isso é ser sustentável.