Ter um quadro de pessoal adequado é fundamental para o sucesso de uma empresa. Ao contar com a quantidade certa de pessoas, a produtividade melhora, a manutenção de um bom ambiente de trabalho é feita e a sobrecarga é evitada. Para tanto, é preciso saber o momento de contratar funcionários.

O fato é que o negócio sempre dá sinais de que precisa de mais gente para as funções. É obrigação do gestor reconhecer a questão e agir rapidamente.

A seguir, veja como descobrir qual é o momento de contratar novos funcionários e não perca as melhores oportunidades!

Quais os riscos de não fazer as contratações?

Quando os sinais não são observados ou são ignorados, a empresa, o clima organizacional e os colaboradores sofrem.

Uma equipe subdimensionada, por exemplo, leva à falta de capacidade de atingir o máximo potencial. Eventualmente, gera perda de dinheiro e de oportunidades, bem como compromete a imagem tanto interna quanto externamente.

A gestão de pessoas, portanto, pode ser comprometida e, ainda, causar um efeito cascata em outras áreas do empreendimento. Quanto mais cedo houver a identificação e a contratação, menores serão os impactos negativos.

Como saber que chegou a hora de contratar funcionários novos?

A mudança no padrão de atuação do time aponta para a necessidade de ter uma equipe maior. Quando certas situações ocorrem, é preciso ter máxima atenção para criar processos seletivos para preencher as vagas.

Para que não restem dúvidas, veja, adiante, quais são os casos comuns que apontam para a exigência de novas admissões.

Aparência cansada ou estressada de funcionários

Quando os colaboradores parecem muito desgastados, irritados e no limite, provavelmente a culpa é do excesso de trabalho. A sobrecarga de informações, tarefas e responsabilidades gera efeitos físicos e psicológicos que podem levar à rápida piora do ambiente corporativo.

O aumento de conflitos, por exemplo, indica que os colaboradores estão mais cansados do que deveriam. Os frequentes atrasos e a perda de rendimento também são pontos a serem observados nesse sentido.

Reconhecer melhor o aspecto e ter um canal de comunicação com os colaboradores é importante para avaliar o clima do ambiente de trabalho. Com isso, fica fácil identificar que o problema é o tamanho reduzido da equipe.

Excesso de horas extras

O excesso de trabalho associado à perda de produtividade faz com que as atividades se estendam muito além do que deveriam. Um súbito aumento na quantidade de horas extras não significa que as pessoas estão engajadas ou trabalhando melhor. Na verdade, o indício é de um colaborador que executa múltiplas funções.

O problema dessa situação acontece em várias frentes. O primeiro ponto é que a empresa precisa pagar pelas horas a mais, o que significa aumentar os custos para obter os mesmos resultados.

Além disso, quando as pessoas passam um tempo maior no trabalho, elas descansam menos. Forma-se, então, um ciclo de cansaço, estresse e dificuldade de concentração, o que leva ao aumento das horas necessárias para trabalhar.

Necessidade de dispensar clientes

Outro problema bastante comum é a negativa constante aos consumidores. É algo que acontece por dois motivos, sendo que o primeiro é quando o crescimento da empresa não é acompanhado pelo desenvolvimento da equipe. Ou seja, o negócio consegue captar e atrair um volume maior de interessados, mas não tem pessoas suficientes para dar conta de todos os projetos.

O segundo motivo é o mais prejudicial e diz respeito à baixa produtividade. Com a sobrecarga, as pessoas conseguem se dedicar menos à conclusão de tarefas específicas, o que gera falta de atendimento a clientes. Isso faz com que não apenas os novos sejam recusados, mas também que aqueles que já faziam parte da base sejam afastados.

Descumprimento de prazos

Quando a equipe é menor do que deveria para executar todas as responsabilidades, é comum que os prazos se acumulem e, inclusive, sejam perdidos. Mesmo com horas extras, um número pequeno de colaboradores não dará conta de um volume grande de tarefas.

O resultado é bastante negativo e surge na forma de atrasos para concluir projetos, entregar aos clientes ou até resolver problemas. Isso prejudica a imagem da empresa tanto em relação ao público quanto aos parceiros, fornecedores e investidores. Eventualmente, é algo que pode comprometer a continuidade no mercado.

Como fazer boas contratações?

Após reconhecer a necessidade de contratar funcionários para dar maior robustez à equipe, é necessário fazer boas escolhas. Não basta admitir qualquer profissional — é preciso que o escolhido seja a melhor alternativa. Para não errar nesse processo, conheça algumas dicas a seguir.

Defina corretamente o perfil da vaga

Nem sempre o talento com maior capacitação técnica ou com ampla experiência é o indicado para uma vaga. Além dessas competências, há habilidades e características de personalidade que devem ser consideradas.

Para facilitar a seleção, estabeleça um perfil para a vaga. Defina quem é o profissional ideal e quais são as qualidades prioritárias.

Tenha um bom programa de benefícios

Quanto maior for o número de profissionais atraídos, maiores são as chances de conquistar bons efeitos. Esse também é um jeito de chamar os melhores talentos e de atuar na retenção após a contratação.

Além dos auxílios de alimentação e transporte, considere questões como reembolso viagens e transporte corporativo. Assim, é possível gerar um clima realmente atraente para fortalecer e ampliar a equipe.

Saiba como divulgar as oportunidades

Para melhorar a capacidade de atração, é fundamental que as vagas sejam apresentadas no ambiente correto. Para acelerar o processo, solicitar a indicação interna, feita pelos próprios funcionários, é uma boa saída.

Também é interessante fazer a divulgação em redes sociais, plataformas específicas e locais físicos com boa circulação do público de interesse. Assim, a chegada de currículos aumenta e já é possível preencher a demanda em um só processo seletivo.

Envolva a gestão na contratação

O departamento de Recursos Humanos (RH) é fundamental na hora de selecionar as pessoas, mas a gestão de cada área também deve estar envolvida. Contar com a participação do líder de equipe ou do gerente na escolha faz com que o processo seja mais eficiente.

Fortaleça a comunicação interna e garanta que os maiores interessados participem da etapa.

Ao reconhecer os sinais, aja para contratar funcionários novos. Com as dicas certas para a seleção, a equipe deixa de ficar sobrecarregada e a melhoria dos resultados é uma consequência natural.

Ficou com alguma dúvida sobre essa etapa? Quais são os seus desafios quanto ao tema? Conte nos comentários abaixo e compartilhe suas experiências conosco!